• Adriano Guedes

Poema do sentido da vida


Oceamarei

O universo

Com linhas encarnadas

Que desfiarei de rosas rosas

Que usarei para compor o poema

Um poema sinfônico

Com notas dissonantes

E aplausos ao final de cada ato

Sem rimas

Mas trocarei as posições

Das vogais e consoantes

Para que ele dê o que pensar

Porque o sentido da vida,

Meu amor,

São cinco:

Visão, olfato, audição, paladar e tato.

vídeo de silenciorn by Vimeo

LEIA TAMBÉM

Outros artigos:

- Os cães nunca deixam de amar por Teresa J. Rhyne recomendado por Maria Claudia

- Deus está sorrindo por Susana Savedra

-Individualismo, individualidade e individuação – diferenças que fazem toda a diferença por Yedda Macdonald

Adriano Guedes

Pai de Thiago e Maria Clara. 44 anos. Acadêmico de Licenciatura em Letras, pelo polo Nova Friburgo da UFF/Cederj. Vencedor do Concurso Polo Poético, nas II e III Jornadas de Letras, realizados em Nova Friburgo (2015-2016). Autor do blog EM BUSCA DO TEMPO PERDIDO, sobre Genealogia e História. Coordenador da Pastoral da Criança, na Diocese de Petrópolis. Estudou direito na UFF/Niterói e na FESO/Teresópolis. Foi Secretário Municipal de Trabalho e Emprego (2009) e Secretário Municipal de Planejamento e Projetos Especiais (2010-2011), em Teresópolis. Agente de Desenvolvimento Local (ADL) do Governo do Estado do Rio de Janeiro. Professor de Língua Grega Antiga.

#poesia #adrianoguedes #versos #cultura #arte #literatura #amor #sonho #dream

0 views

Copyright © 1Olhar 2017

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Instagram Icon

O 1 Olhar é uma plataforma colaborativa com mais de 50 colunistas compartilhando o olhar, a opinião de pessoas normais sobre os acontecimentos que nos cercam.

Quer colaborar? Entre em contato