• Paulo Buchsbaum

Os Melhores Momentos de Lula contra o Moro


Esses são os melhores momentos do Lula, selecionados pelo site lulista Tijolaço.

Analiso aqui cada um dos trechos abaixo:

a)MORO: Tem um documento aqui que fala do triplex….

LULA: Tá assinado por quem?”

MORO: Hmm… A assinatura tá em branco…

LULA: Então o senhor pode guardar por gentileza!”

Uma das modalidades de crime de lavagem de dinheiro é justamente a ocultação de bens. Por que diabos deveria ter a assinatura do Lula ou da Marisa, em um documento apreendido na cobertura de Lula em São Bernardo? Afinal, em casos de ocultação de bens, tudo é tratado apenas pela palavra.

b)MORO: Esse documento em que a perícia da PF constatou ter sido feita uma rasura, o senhor sabe quem o rasurou?

LULA: A PF não descobriu quem foi?

MORO: Não!

LULA: Então, quando descobrir, o senhor me fala! Eu também quero saber!”

Lula é um eterno piadista. O detalhe é que o documento foi apreendido na cobertura de São Bernardo do Lula. Quem deve explicações é o Lula e não o Moro. Como é que o Moro descobriria quem rasurou?

c)MORO: O Sr. não sabia dos desvios da Petrobras

LULA: Ninguém sabia dos desvios da Petrobras. Nem eu, nem o Sr., nem a imprensa, nem o Ministério Público, nem a Polícia Federal. Só ficamos sabendo quando grampearam o Youssef.

MORO: Mas eu não tinha que saber, não tenho nada com isso.

LULA: Tem sim, foi o Sr. que soltou o Youssef.”

Lógico que o Moro não tinha como saber. Ele só entrou na Lava Jato, quando foi sorteado a vara do processo. O fio da meada começou a aparecer na delação do Youssef.

Lula se refere a um rumoroso processo de 2004, o Banestado, muito explorado pelos sites lulistas

Com a palavra, Felippe Hermes do Spotniks:

“Um dos personagens envolvidos no caso, Alberto Youssef, do Petrolão, fechou um acordo de delação premiada com o Ministério Público estadual. Ao ver que o doleiro incorreu no mesmo crime novamente, Sergio Moro suspendeu o acordo e retomou o processo do Banestado contra Youssef, condenando-o a 4 anos e 4 meses de prisão. Não é verdade, portanto, que o doleiro tenha escapado por conta de Moro.

Cerca de 684 pessoas foram denunciadas pelo escândalo do Banestado, sendo 97 condenadas (até 2011). Da parte do juiz Sergio Moro, que na época possuía 31 anos, foram 25 condenações, em apenas 12 meses. Seja por lentidão da Justiça em julgar nas instâncias superiores ou por obra dos advogados, muitas condenações caíram. Em 2013, o Superior Tribunal de Justiça extinguiu a pena de 7 condenados. Outras penas foram extintas ou casos arquivados em recursos no mesmo TRF4. O certo é que as condenações do Moro ocorreram. E foram rápidas.”

d)LULA: E como eu considero, doutor, como eu considero esse processo ilegítimo, e a denúncia, uma farsa, eu estou aqui em respeito à lei, em respeito a nossa Constituição. Mas com muitas ressalvas com respeito ao comportamento dos procuradores da Lava Jato.

MORO: Perfeito, mas é a oportunidade que o senhor tem de se defender, e esclarecer estas questões, então eu vou pedir um pouco de paciência para o senhor ex-presidente. Certo?

LULA: Eu tenho paciência, é que perguntar coisas pra mim de uma pessoa que já morreu, é muito difícil, sabe? É muito difícil.

MORO: Eu imagino, mas infelizmente a gente acaba tendo que ir pelo contexto, certo?

LULA: É, eu sei…”

Hum, aqui Lula piedosamente lamenta ter que falar coisas sobre uma pessoa que já morreu, sua esposa Marisa Letícia. No entanto, em vários outros trechos do interrogatório, Lula atribui atos (intenção de investir no tríplex), qualidades (não gostar de praia) e estados de saúde (dor nas cartilagens) à mesma falecida Dona Marisa.

e)MORO: Agora o senhor tem essas reclamações da imprensa, eu compreendo, mas esse realmente não é o foro próprio pro senhor reclamar contra o tratamento da imprensa. O juiz não tem nenhuma relação com o que a imprensa publica ou não publica e esses processos são públicos

LULA: Doutor, o senhor sem querer talvez entrou nesse processo. Sabe por quê?

MORO: Hum?

LULA: Porque o vazamento de conversas com a minha mulher e dela com meus filhos, foi o senhor que autorizou.”

Esse vazamento, que pode ter até sido um ato do Moro sujeito à controvérsias legais, terminou sendo um mal menor.

Afinal, salvou o Brasil de colocar o Lula como Ministro da Casa Civil artificialmente, portanto sob a proteção do foro privilegiado, ao desnudar para o Brasil sua intenção de se proteger de uma eventual prisão com um termo de posse levado pelo “Bessias”.

Esse vazamento, quase heroico porque colocou a carreira de Moro sob risco, é que viabilizou de vez o Impeachment da Dilma e evitou o desmonte da Lava Jato, com o irascível Ministro da Justiça Eugênio Aragão.

f) MORO: Saíram denúncias na folha de São Paulo, e no jornal O Globo de que…

LULA: Dr. não me julgue por notícias, mas por provas.”

A edição criminosa da mídia esquerdista suprimiu o resto da pergunta de Moro. Então não tem como refutar. Lula fala uma frase de efeito, mas Moro apenas contextualizou a pergunta. A pergunta é que tem que ser respondida e não a contextualização dela.

g) LULA: Doutor Moro, o senhor já deve ter ido com sua esposa numa loja de sapatos e ela fez o vendedor baixar 30 ou 40 caixas de sapatos, experimentou vários e no final, vocês foram embora e não compraram nenhum. Sua esposa é dona de algum sapato, só porque olhou e provou os sapatos? Cadê uma única prova de que eu sou dono de algum tríplex? Apresente provas doutor Moro?”

É uma analogia completamente despropositada e que revela o estilo de retórica barata, típico do Lula. Lula foi duas vezes no triplex com o ocupadíssimo Léo Pinheiro, presidente da gigante OAS. Dona Marisa e o filho o visitarem repetidamente o tríplex para interagir com os profissionais que lá estavam lá, da OAS ou de firmas contratadas, sendo que eles não moram em Guarujá.

Isso é completamente diferente do que ficar sentado por 1 horas experimentando sapatos em uma loja de calçados.

h) "MORO: O senhor solicitou à OAS que fosse instalado um elevador no tríplex?

LULA: O senhor está vendo essa escada caracol nessa foto? Essa escada tem dezesseis degraus e é do apartamento em que eu moro há 18 anos em São Bernardo. Dezoito anos a Dona Marisa, que tinha problema nas cartilagens do joelho passou subindo e descendo essa escada. O senhor acha que eu iria pedir um elevador no apartamento que eu não comprei, ao invés de pedir um elevador no apartamento em que eu moro, para que a Dona Marisa não precisasse mais subir essa escada?"

Subir um lance de escadas para acessar o salão de festas do imóvel, é algo muito ocasional. Ninguém dá festas todos os dias.

Não existe o hábito de se colocar um elevador para acessar o segundo andar de um duplex, que é apenas um salão de festas que não é uma área de uso constante. O que alguns colocam é um elevador de carga pequeno para transportar comida.

Colocar um elevador para acessar níveis de um triplex, incluindo o andar onde ficam os quartos, é uma história completamente diferente.

Além disso, dizer que Marisa Letícia tomava remédio para dor na cartilagem para provar que ela era estoica em não existir o elevador no duplex de São Bernardo, é uma afirmação sem provas.

Ela está morta, não pode confirmar ou negar.

i) "MORO: Senhor ex-presidente, você não sabia que Renato Duque roubava a Petrobras?

LULA: Doutor, o filho quando tira nota vermelha, ele não chega em casa e fala: “Pai, tirei nota vermelha”.

MORO: Os meus filhos falam.

LULA: Doutor Moro, o Renato Duque não é seu filho."

Isso é um mero chiste e não um gol de placa do Lula no Moro. É um jogo de palavras inócuo. Lula admitiu que deu a palavra final na nomeação de Duque. Admitiu que encontrou com ele para fazer-lhe uma mera pergunta, mesmo alegadamente sem o conhecer.

j) "MORO: Sr. ex-presidente preciso lhe advertir que talvez sejam feitas perguntas difíceis para você.

LULA: Não existe pergunta difícil pra quem fala a verdade."

Lula não tem um amor assim tão grande à verdade. Ele mentia costumeiramente e até se jactou disso uma vez em vídeo (https://www.youtube.com/watch?v=22zWep8cBh4)

Lula primeiro disse que ELE desistiu do triplex e no interrogatório do Moro, Lula imputou a desistência à Marisa. Quando ele mentiu? Antes ou agora?

k) "LULA: O Dallagnol não tá aqui. Eu queria o Dallagnol aqui pra me explicar aquele PowerPoint."

Quem Lula acha que é? O Dallagnol é o chefe da força-tarefa da Lava Jato. Ele tem mais o que fazer do que ficar acompanhado todos os interrogatórios. A MPF é uma equipe e não o show de um homem só. O tal Powerpoint, pode até ter sido precipitado e inapropriado, mas não tem nada a ver com o processo do triplex e da armazenagem, o qual o Lula é réu.

Se esses são os 11 melhores momentos de Lula em um depoimento de 5 horas, dá para ter uma pálida ideia de como Lula está ferrado!

Leia Mais

- O Brasileiro é Liberal mas não sabe (ou esqueceu) por Paulo Gustavo Ganime

- Uma crítica Liberal-Conservadora ao Programa Escola sem Partido por Bruno Rosi

- Pichação, arte e excluídos em Sampa por Paulo Buchsbaum

- Gestão (?) pública por Paulo Gustavo Ganime

Paulo Buchsbaum é alguém muito conectado a todas as grandes questões da atualidade, navegando em áreas tão distantes como Economia, Exatas e Psicologia. Ele atua como consultor de negócios e empreendedor, mas tem paixão por escrever, já tendo 3 livros lançados. Seu site é www.negociossa.com

#paulob #PauloBuchsbaum #Moro #Lula #Lavajato #Política #Brasil

Copyright © 1Olhar 2017

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Instagram Icon

O 1 Olhar é uma plataforma colaborativa com mais de 50 colunistas compartilhando o olhar, a opinião de pessoas normais sobre os acontecimentos que nos cercam.

Quer colaborar? Entre em contato