• Alessandra Ayres

COMIDA JAPONESA? FIQUE DE OLHOS ABERTOS


Os japoneses têm o menor índice de obesidade no mundo e são conhecidos pela sua longevidade. Apenas 3,7 % são obesos, enquanto nos Estados Unidos, berço do fast food, 33,6% da população apresentam esta doença crônica segundo a última pesquisa do Global Burden of Disease. O que diferencia estes dois países são os hábitos alimentares e estilo de vida. Equilíbrio e moderação fazem parte da cultura japonesa.

Além da variedade da culinária japonesa, saborear a comida, parar de comer antes de estar completamente satisfeito sem a sensação de estômago estufado são hábitos milenares.

A comida japonesa à moda brasileira caiu no gosto popular e não podemos fechar os olhos para isso. Há um apelo de comida saudável, uma vez que algas, vegetais e peixes fazem parte da lista de ingredientes das preparações, mas não é bem assim... Poucos são os restaurantes que servem comida japonesa de verdade. Além disso existem pratos muito calóricos com muito açúcar, empanados e fritos.

Considerando que é difícil viver à margem da sociedade gastronômica, veja algumas dicas que não comprometerão seu emagrecimento. Mantenha seus olhos abertos na leitura do cardápio nipo brasileiro e faça sua escolha..

SUSHIS: O arroz branco usado nesta preparação recebe adição de açúcar. Para cada xícara de arroz, duas colheres de açúcar são adicionadas. A velocidade de absorção de açúcar é alta. O alto índice glicêmico promove o aumento da glicemia e depósito de gordura abdominal.

SHOYO: É um molho a base de soja. O problema está no excesso de sal e aditivos. O corante caramelo presente neste molho está associado ao risco de câncer. O glutamato monossódico torna mais saboroso, mas pode causar dependência. Em uma colher de sopa de shoyo, há quase um grama de sal. Prefira o shoyo light , tem menos 25% a 30% de sódio. Outra dica é não mergulhar a peça inteira no molho, só metade.

SASHIMI: São fatias de peixe fresco cru que podem ser degustados com shoyo (soja) ou wasabi(raiz forte). Peixes são fontes de proteínas e ômega 3, protetor de doenças cardiovasculares. Certifique-se das condições higiénico-sanitárias do local que costuma frequentar.

MISSOSHIRO: Esta sopinha a base de soja é uma boa opção para entrada, tem poucas calorias e dá saciedade.

SHITAKE E SHIMEJI: Estes cogumelos cozidos no vapor também podem ser consumidos como entrada. A opção na manteiga ou frita é mais calórica.

SAKÊ:Troque a bebida alcoólica por chá verde, 1 ml de álcool tem 7 calorias e o chá sem açúcar tem zero calorias. Evitar bebida alcoólica faz parte do desafio para uma vida mais magra e saudável.

DOCES JAPONESES: são menos calóricos que os nossos, não costumam ter leite condensado, creme de leite ou chantilly. As porções de doce são pequenas.

HASHIS: O uso dos “pauzinhos" é um bom exercício para comer devagar e saborear os alimentos. O cérebro leva cerca de 20 minutos para registrar a saciedade.

Se optar por comida japonesa ao sair com amigos ou família, curta o ambiente, o bate-papo, a harmonia das cores no prato. Coma e beba com moderação, com equilíbrio tudo é permitido.

Não só de água e alface viverá o homem.

Acesse clicando aqui o desafio de 21 dias!

ESTA TABELA ABAIXO TRAZ O VALOR CALÓRICO DE ALGUNS PRATOS DA COMIDA JAPONESA

FAÇA O DOWNLOAD DO CHECK LIST DO DESAFIO CLICANDO AQUI!

Alessandra Ayres

Nutricionista especialista em obesidade e emagrecimento Personal Organizer Coordenadora do programa Mudança de Hábitos Email: alenutr@gmail.com

Instagram: @nutriorganiza

#nutricao #nutricionista #habitosalimentares #alessandraayres #alessandra #fomepsicologica #fome #dicas #dica #DESAFIO #acucar #adocante

31 visualizações

Copyright © 1Olhar 2017- 2020

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Instagram Icon