E a Bolívia?


Escrevo este texto com o mesmo objetivo do 1 Olhar, o de tentar gerar reflexões sobre verdades absolutas. Nos tempos de hoje, onde parece que tudo virou ciência exata, opiniões tem a pretensão de serem verdades absolutas com certos e errados “claros” para todas as situações. Talvez por gostar muito da lógica científica de questionar a “autoridade” – que muitas vezes é um amigo em uma mesa de bar – me pergunto o tempo todo sobre dogmas, soluções únicas para problemas complexos e mesmo a distância abissal que muitas vezes a teoria dos livros tem da prática. E realmente não consigo, para o bem ou para o mal, aceitar facilmente verdades absolutas ou receitas prontas de sucesso.

Quando levamos essa lógica para a discussão político-econômica é que o negócio fica pior. A conversa geralmente começa com alguns fatos comprovados e até testes empíricos e no final quase sempre caímos na armadilha da discussão ideológica com um “quê” de debate futebolístico. Argumentos determinísticos como se política e economia fossem ciências exatas, fórmulas teóricas como garantias de sucesso e filosofias românticas que passam longe da realidade complexa dos problemas de um país.

Bom, a essa altura você deve estar se perguntando “Ok, mas e a Bolívia”, não era isso de que se tratava esse texto? Nos parágrafos abaixo eu explico.

Estive na Bolívia 5 anos atrás e realmente se tratava (e ainda é) uma país extremamente pobre, daqueles países que você como turista não consegue ver grandes perspectivas. Pobreza generalizada, nível educacional baixo, economia pouco diversificada e extremamente dependente de commodities e para piorar, com um líder populista extremamente controverso e altamente intervencionista. Como latinos já vimos esse filme várias vezes e sempre com um final trágico.

Pois bem, esses dias, em uma discussão sobre economia com um amigo, ele me apresentou (novamente) o ranking da Heritage Foundation (http://www.heritage.org/index/ranking) sobre liberdade econômica, como a verdade absoluta do motivo pelo qual o Brasil (estamos na 122º posição de 178 países) fracassou em sua política econômica. Não entrarei no mérito desta discussão aqui. O fato é que no dia estava lendo uma reportagem sobre a situação trágica e miserável que a Venezuela está vivendo e me veio a lembrança da Bolívia, pois como vocês devem lembrar, Bolívia e Venezuela tinham uma plataforma ideológica muito próxima que é o Bolivarianismo. E o pior: a Venezuela do passado sempre foi mais rica e próspera que a sempre pobre Bolívia. Então me perguntei: Será que a Bolívia acabou e ninguém me falou nada? Fui olhar os dados, começando com a evolução do PIB:

Tomou um susto né? Assim como você, fiquei espantado com os dados do PIB e resolvi procurar mais dados da economia no período de Evo Morales.

PIB per capita:

Inflação:

Rating:

http://www.tradingeconomics.com/bolivia/rating