Por que não sei dizer NÃO?

10.01.2017

Há algum tempo escuto falar de crenças limitantes. Que somos influenciados por interpretações negativas de experiências vividas e na hora de tomadas de decisões essa crença entra em ação e nem percebemos. Segundo o dicionário Michaelis, crença é o pensamento que se acredita ser verdadeiro ou seguro; certeza, confiança, segurança. 

 

A crença limitante que mais me chama atenção é o medo de dizer Não. Crescemos escutando que temos que agradar a todos, que não podemos magoar ninguém, que dizer não é falta de educação, etc, etc e assimilamos isso de tal forma que dizer sempre sim passou a ser o normal.

 

 

Sei que é muito cultural também... Quantas vezes dizemos que os europeus são frios ou mesmo grossos porque disseram um não? Mas será que eles não têm razão? Por que dizer sim a um convite de uma festa se o que queremos mesmo é ficar dormindo em casa? Quando os europeus ou qualquer outro povo dizem não a essa festa, aprendi ao longo dos anos que não é grosseria ou frieza, mas sim a sua vontade. Na cultura deles isso é normal, e ninguém ficará ofendido ou chateado com uma resposta negativa. O mesmo acontece em relação a trabalho. Todos entendem que se seu chefe no último minuto resolveu fazer hora extra, há toda uma vida lá fora e você tem a liberdade de ir embora quando seu horário terminar.

 

Segundo Steve Jobs: “Seu tempo é limitado, então não o desperdice vivendo a vida de outra pessoa… Não deixe o ruído da opinião dos outros abafar a sua voz interior.” Em outras palavras: Seja você mesmo! Faça o que te deixa feliz! Não tente agradar a todos o tempo todo, se agrade antes de tudo!

 

As atitudes também expressam muito bem o medo de se dizer não e nem sempre nos damos conta. Quantas vezes confirmamos um convite de uma festa e não aparecemos? Quantas desculpas inventadas para "esconder " nossa vontade ou que pensamos de outro jeito? 

 

Evitar situações desconfortáveis por ser mais fácil, para ser aceito, para não brigar, culmina num acúmulo de mágoas, receios, falta de opinião própria e, quando realizamos, não estamos vivendo a nossa vida e sim as idéias de um outro alguém...

 

Enquanto o NÃO permanecer lá no fundo da nossa mente como uma palavra “proibida”, não seremos totalmente verdadeiros e nos limitaremos. Se queremos a felicidade, temos que deixar de dizer sempre sim! 

 

Leia Mais

 

Artigos Relacionados:

 

-Divagando por Suely Rosset

-Xadrez na empresa por Renato Carvalho

-Objetificação da mulher e censura por Paulo Buchsbaum

 

 

Outros Artigos:

 

-Dia a dia de uma mãe frenética por Andrea Domingues

-Mioma por Dr. Arthur Bastos

-Gastroenterite aguda por Julia Monassa Fioretti

 

                                     

 

 

 Cris Ganime

Co-idealizadora do 1olhar.com

Carioca, ex-dentista, ceramista nas horas vagas e  radicada no Sul da Espanha. Já morou em Montreal, Canadá e na Antuérpia, Belgica.

Apaixonada por viagens e fotografia.

facebook.com/crisganime

Please reload

 SIGA-NOS AQUI TAMBÉM 
  • Facebook B&W
  • Twitter B&W
  • Instagram B&W
 os mais RECENTes : 

August 6, 2018

August 3, 2018

July 18, 2018

July 11, 2018

Please reload

Please reload

Copyright © 1Olhar 2017

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Instagram Icon

O 1 Olhar é uma plataforma colaborativa com mais de 50 colunistas compartilhando o olhar, a opinião de pessoas normais sobre os acontecimentos que nos cercam.

Quer colaborar? Entre em contato