In Joyce's dream

Anemonemos

Com rosas cálidas

Sem perfume

e com perfume

De jasmim

Para girassolarar

Nosso pensamento.

Tuliparei teu rosto

Num beijamento

Para violetar o idílio

E líriamente

Madressilvar teu ciso,

Impoluto narciso.

E do orquídeo

Singelo gosto,

nasça,

Não o amor-perfeito,

Mas a suprema dália me

sem damas da noite,

Para a vitória régia

Abraçarmos

Na imortalidade

De um segundo.

LEIA TAMBÉM

Outros artigos:

- Os cães nunca deixam de amar por Teresa J. Rhyne recomendado por Maria Claudia

- Deus está sorrindo por Susana Savedra

-Individualismo, individualidade e individuação – diferenças que fazem toda a diferença por Yedda Macdonald