Resenha do livro O HOMEM DE SÃO PETERSBURGO de Ken Follett

22.04.2017

O HOMEM DE SÃO PETERSBURGO de Ken Follett

 

O Homem de São Petersburgo é um livro com um conteúdo histórico magnífico (como todos os livros de Ken Follett), está muito bem desenvolvido e retrata a Inglaterra do início do século XX e suas relações internacionais, especialmente com a Rússia, com quem deve assinar um tratado de cooperação para o caso da Alemanha (que está no auge do seu fortalecimento bélico e econômico) decida invadir a França – fato esse que veio a contribuir para o início da Primeira Guerra Mundial.

 

A história está centrada no Conde inglês Stephen Walden, um lorde conservador e estrategista que mantem ligações na corte que fazem com que se torne uma espécie de embaixador informal. Walden é casado com Lydia, uma russa que é tia do Príncipe Orlof, almirante da Marinha Russa, parente do Czar. Walden e Orlof são os representantes da Inglaterra e da Rússia para negociarem e assinarem um acordo de cooperação elaborado por Churchill e os liberais do Parlamento. Embora Walden seja um conservador aceita ser o representante da Inglaterra por acreditar que realmente só com esse acordo é que vão conseguir ter a Rússia como aliada contra a Alemanha.

 

No entanto, o anarquista Feliks Kschessinsky, um homem sem nada a perder e que havia passado quase 20 anos em fuga do exílio na Sibéria, toma para si a tarefa de assassinar Orlof e impedir que o acordo seja estabelecido: está disposto a tudo para impedir que seu país envie milhões de rapazes para os campos de batalha de uma guerra que nem sequer compreendem. Para isso ele se infiltra na Inglaterra com a intenção de assassinar o príncipe e, assim, frustrar a aliança entre russos e britânicos. Um mestre da manipulação, Feliks tem várias armas a seu dispor, mas precisa enfrentar toda a força policial inglesa, o conde Walden e o próprio Winston Churchill. Ele só não esperava que o seu passado interferisse de maneira tão significativa em seu presente!!!

 

O livro é eletrizante, com diversas cenas de perseguições, tiros e corre-corre do tipo dos filmes de ação, com soluções até bastante improváveis, mas que eu ADORO! Além disso, outro aspecto que faz com que a história fique cada vez mais excitante é que com a chegada de Feliks a Londres, diversos aspectos do passado dos personagens vêm à tona e nos levam à Rússia do fim do século XIX, com um toque de romance e drama, envolvendo Lydia que precisa tomar uma decisão e escolher qual lado vai seguir.

 

A trama criada por Follett nesse livro é repleta de intrigas políticas, muitas delas comprovadamente baseadas em fatos históricos e isto é algo que sempre me atrai nas obras do autor. Mas o que eu não contava é que essa narrativa traria uma gama de discussões tão variadas: sufragismo, inocência e anarquismo entre outros! E mesmo assim isso não fez Follett perder a fluidez da narrativa: a diversidade de pontos tratado na trama não impede o desenvolvimento da história, tudo ocorre conforme o relato vai ganhando consistência e com isso vai nos despertando uma ansiedade gradativa para saber como tudo vai terminar.  E falando sobre o final, eu o achei simplesmente brilhante: não tinha a menor ideia de como o autor conseguiria terminar as coisas de forma satisfatória, não esperava que algo do tipo acontecesse e foram momentos bem tensos.

 

Sou “fã de carteirnha” de Ken Follett, acho que já li e reli quase toda a sua obra, mas ainda me surpreendo com a capacidade que ele tem de me surpreender a cada novo livro que leio (ou releio: se estão lembrados... memória não é o meu forte! rsrsrs...). Com O Homem de São Petersburgo não poderia ser diferente, é excelente!

 

Acredito que essa leitura será muito boa para quem gosta de conteúdo histórico, de ação, de romance, de drama, enfim... é uma trama envolvente que se interliga de uma forma fora de série!!! 

L

i em algum lugar que alguém disse que se uma editora decidir publicar a lista de supermercado de Follett esse alguém iria correndo até a livraria para comprá-la!!! Queria fazer as palavras dessa pessoa minhas também: eu não hesitaria nem por um segundo em fazer o mesmo!!!

 

 

 

 

LEIA MAIS

Outros livros recomendados:

 

-  Análise do livro NINFEIAS NEGRAS de Michel Bussi por Maria Claudia

-  Crítica do livro Um Mais Um de Jojo Moyes por Maria Claudia

-  Os Cães nunca deixam de amar de Teresa J. Rhyne recomendado por Maria Claudia

-  O Tempo entre Costuras de María Dueñas  recomendado por Maria Claudia

-  Destino La Templanza de María Dueñas recomendado por Maria Claudia

-  A Maleta da Sra. Sinclair de Louise Walters  recomendado por Maria Claudia

-  A Lógica do Cisne Negro de Nassim Nicholas Taleb recomendado por Paulo Gustavo Ganime

- A livraria dos finais felizes de Katarina Bivald recomendado por Maria Claudia

- O Amante Japonês de Isabel Allende recomendado por Maria Claudia

 

Maria Cláudia de Macedo Miranda Marandino

 

Resendense de nascimento e carioca desde os meus três anos, sou professora (aposentada) especializada em alfabetização e pré-escolar. Amo ler pelo simples prazer de ler! Não sou especialista em literatura mas vou colaborar no 1 olhar com o resumo que faço de cada um dos muitos livros que leio na esperança de despertar o leitor que sei que vive dentro de cada um de nós: todos somos leitores, basta que o livro certo nos encontre!

Please reload

 SIGA-NOS AQUI TAMBÉM 
  • Facebook B&W
  • Twitter B&W
  • Instagram B&W
 os mais RECENTes : 

August 6, 2018

August 3, 2018

July 18, 2018

July 11, 2018

Please reload

Please reload

Copyright © 1Olhar 2017

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Instagram Icon

O 1 Olhar é uma plataforma colaborativa com mais de 50 colunistas compartilhando o olhar, a opinião de pessoas normais sobre os acontecimentos que nos cercam.

Quer colaborar? Entre em contato