I

28.05.2017

Fenece

A via

A cada instante

Que tece

Tua constante

Agonia

Pois se o dia

Passa

E a noite desce

Permanece

Bastante

A alheia

E olvida

Melodia.

Ouvida na praça,

Na seara sem pressa

Da brasa da memória,

Das palavras

Que são tormentos.

Pois não tens

Palavra de brisa

Que refresca os olhos

E acende os sentidos.

Apenas

Aquela senha

Que te ascende

Ao papel de permanente

Sofrente.

 

 

 

LEIA TAMBÉM

Outros artigos:

 

- Os cães nunca deixam de amar por Teresa J. Rhyne recomendado por Maria Claudia

 

- Deus está sorrindo por Susana Savedra

 

-Individualismo, individualidade e individuação – diferenças que fazem toda a diferença por Yedda Macdonald 

Adriano Guedes

Pai de Thiago e Maria Clara. 44 anos. Acadêmico de Licenciatura em Letras, pelo polo Nova Friburgo da UFF/Cederj. Vencedor do Concurso Polo Poético, nas II e III Jornadas de Letras, realizados em Nova Friburgo (2015-2016). Autor do blog EM BUSCA DO TEMPO PERDIDO, sobre Genealogia e História. Coordenador da Pastoral da Criança, na Diocese de Petrópolis. Estudou direito na UFF/Niterói e na FESO/Teresópolis. Foi Secretário Municipal de Trabalho e Emprego (2009) e Secretário Municipal de Planejamento e Projetos Especiais (2010-2011), em Teresópolis. Agente de Desenvolvimento Local (ADL) do Governo do Estado do Rio de Janeiro. Professor de Língua Grega Antiga.

Please reload

 SIGA-NOS AQUI TAMBÉM 
  • Facebook B&W
  • Twitter B&W
  • Instagram B&W
 os mais RECENTes : 

August 6, 2018

August 3, 2018

July 18, 2018

July 11, 2018

Please reload

Please reload

Copyright © 1Olhar 2017

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Instagram Icon

O 1 Olhar é uma plataforma colaborativa com mais de 50 colunistas compartilhando o olhar, a opinião de pessoas normais sobre os acontecimentos que nos cercam.

Quer colaborar? Entre em contato