O samba não vai morrer

Estamos em junho, período de Festas Juninas, mas o assunto mais falado essa semana no Rio é Carnaval. Isso graças ao Prefeito Marcelo Crivella, que anunciou de forma desastrada o corte em 50% da verba que a prefeitura destina a cada Escola de Samba. Religião, Ajuste Fiscal, preferência pessoal,... não conheço as reais motivações que o levaram a tomar esta decisão, provavelmente um misto disso tudo.

Se eu estivesse no lugar do Crivella provavelmente teria motivação e forma diferentes para

chegar ao mesmo resultado. Adoro Carnaval, Samba e a Cultura Brasileira. Tenho também

ciência da importância do Carnaval para a economia e imagem do Rio. Mas o Carnaval cresceu muito nas últimas décadas, virando um grande negócio. Direito de transmissão para a TV, grandes patrocínios,... E a cada ano mais luxo e tecnologia na avenida. Um negócio deve ser tratado como negócio. O estado tem sim seu papel, garantindo infraestrutura e segurança para esses grandes eventos. Ponto.

Não discordo dos que defendem que o Carnaval gera mais receita para a cidade do Rio que o investimento que a prefeitura faz. Mas entendo que com a verba originária da iniciativa privada já existente e uma contenção de gastos, nossas Escolas consigam fazer um espetáculo tão bonito, voltando às suas origens, e atraindo tanto ou mais turistas e expectadores.