Sinta-se bem como uma bruxa - SÉRIE REHLUM

30.07.2017

É interessante que o termo "bruxa” ainda soe pejorativo nos dias de hoje. Ainda utiliza-se a palavra como xingamento para ofender a uma mulher, mas, não ao homem. Talvez aquele designado "bruxo” seja o detentor de grande sabedoria, dos mistérios ocultos e, portanto, dotado de grande importância. Sempre foi assim. Um professor, por exemplo, conhecedor dos saberes acadêmicos, assim pode ser chamado com a intenção de elogiar o seu academicismo.
 

Antigamente, os magos e bruxos encabeçavam uma boa parcela dos grupos intelectuais nas mais diversas sociedades. Já a bruxa, sempre foi uma bruxa simplesmente por ser... mulher! Antes das perseguições desvairadas e sem sentido, essas mulheres conheciam as propriedades das ervas, eram parteiras e possuíam uma relação com o sagrado ligado a natureza. Acredito, inclusive, por intermédio das minhas leituras durante todos esses anos, que a ideia de uma força natural, ao invés de um ser supremo e criador, estava mais presente que o politeísmo em si. Nomes e arquétipos são formas que nós, os seres humanos, damos ao que não podemos compreender racionalmente somente para satisfazer as nossas necessidades egóicas de sintetizar as coisas.
 

E a Deusa, ou Deus é o todo. Nossa capacidade imaginativa conectada ao universo é que modula artisticamente ou apega-se a uma ideia pronta de entendimento. Aliás, essa ideia pronta é um dos preceitos que pode nos levar a verdades absolutas que termina em um fundamentalismo perigoso.


Voltando à questão anterior, não podemos deixar de citar a Dança do ventre, que pertencia aos rituais egípcios consagrados as Deusas, e faz todo o sentido, já que os movimentos próprios deste ritmo despertam a intuição, que também é um tipo de sabedoria.
 

Estar em contato com a sua natureza, mais precisamente com a sua própria força é estar sintonizada com a sua Deusa interior, sobretudo, através das fases da lua que possuem relação com o ciclo menstrual. Ao repararmos bem, o ciclo individual de cada mulher está conectado com a mesma fase lunar todo mês. Coincidência? Não estamos falando de absurdos secretos ou ligações com mundos paralelos, mas, sim da própria natureza, da mulher (Deusa) que habita em você.
 

Gostaria de ressaltar que o natural ao qual me refiro aqui não se restringe a questões físicas. Os antigos também sabiam que a mente não está separada do corpo e os seus aspectos mentais podem estar ligados a forças que não correspondem necessariamente ao que biologicamente é considerado mulher. E isso faz parte do conjunto, afinal, somos mente e corpo, não dá para separar um do outro. Há muitas pessoas que geneticamente não nasce mulher, porém, possui uma ligação muito mais profunda com os arquétipos sagrados da lua que outras e termina que a sua Deusa transborda e aparece facilmente. E aqui me atenho a questões filosóficas dentro do conceito da Deusa e também ao respeito e adoração do seu próprio lado feminino, não estou entrando em discussões de gênero. A verdade, é que a energia da feiticeira, outra face da bruxa, a que controla as forças da natureza é que trabalha com isso.
 

Para finalizar, espero de verdade que essa matéria encontre você na mais perfeita harmonia e espontaneidade para que a sua Deusa possa desabrochar. Por isso destaquei abaixo algumas das que são cultuadas em diversos lugares para que a identificação fique mais fácil e todas se encontrem com alguma, ou várias delas. Há diversas versões desses arquétipos , assim como, outras que não foram contempladas aqui pois realmente não tenho como explanar todas, até porque há muitas que desconhecemos no Ocidente. Me ative talvez as minhas influências que vem da Mitologia Grega e também da Africana, ainda
que apareça uma egípcia e outra irlandesa. Por fim, somos Deusas, somos a Natureza. Sinta-se bem como uma bruxa!

 

NOSSA SENHORA

 

Adorada pelos cristãos católicos, todos devem saber que ela também é uma das representações da Deusa Pagã. Inclusive sua força é extremamente poderosa já que foi ramificada entre muitas dependendo da cultura. Há muitas "Nossas Senhoras ” e todas elas que se materializaram através de aparições em diversos lugares, contextualizadas dentro de cada cultura local correspondem a arquétipos distintos da grande Deusa Mãe, o que é bem curioso devido a sua associação com a Virgem Maria. Dentre muitíssimas imagens desta Deusa, deixamos aqui a de Guadalupe, protetora da America Latina e materializada no México através dos olhos do índio Juan Diego no ano de 1531. Aos mais fervorosos gostaria de ressaltar que todas as religiões trabalham com o metafísico, portanto, atenham-se a História, não a crenças particulares.

 

DEUSA BASTET

 

 

 

 

 Retratada com a cabeça de uma gata. Os felinos sempre foram um mistério pros seres humanos, a sua energia, o seu andar, a sua independência e a destreza que possuem sempre nos deixaram ensimesmados. No Egito ela é considerada uma Deusa solar, protetora da fertilidade e também da criação dentro da música, que também depende deste atributo. Traz consigo um instrumento musical de percussão chamado Sistro.

 

 

 

 

 

DEUSA AFRODITE

 

Praticamente a mais conhecida de todas. Quem não conhece a representante do amor e da beleza? Nascida da espuma do mar, o esperma de Zeus, confere toda a graça ao que está a sua volta.
 

Esse amor que lhe é  atribuído  tem inúmeras facetas e tal sentimento é demonstrado e materializado nas suas mais diversas formas e não simplesmente no amor dentro do ponto de vista comum. Até porque o amor não possui definição. Deus é o próprio amor, no caso a Deusa. A beleza é o amor, o afrodisíaco é o amor. O que você faz com graça, adoração e beleza, faz porque ama, isso é Afrodite manifestando-se. A Grécia difundiu bem as versões em torno do mito de Afrodite, mas tudo indica que ela já apareceu antes na Pérsia e na África também.

 

DEUSA DIANA

 

 

Ela é Ártemis na Mitologia grega e Diana para os romanos, a caçadora. A famosa Mulher Maravilha dos primórdios foi baseada nela. O foco dessa Deusa tem mais ligação com as conquistas, pois é uma caçadora nata e conhece todos os mistérios e segredos da floresta. Parafraseando com a contemporaneidade, ela sabe os meios e artimanhas para se chegar onde quer. Está sempre com uma flecha.

 

 

 

 

 

 

 

DEUSA YEMANJÁ

 

A água é sentimento, é criação, é vida. E a lua que influencia toda a água do planeta Terra, adentra diretamente nas marés. E como a Rainha do mar, essa Deusa é imensidão profunda, assim como o nosso inconsciente, assim como a lua. É cultuada dentro e fora do Brasil e é uma das mais belas heranças que a cultura africana deu para o país. Nem preciso dizer que uma das suas formas é a de sereia. Ela também pode ser encontrada no som das conchas do mar, assim como na beleza e pureza das pérolas raras e também nas ondas que podem te derrubar.

 

 

DEUSA EOS

 

 

 

 

 

 Tem relação com a aurora e é a deusa grega que traz o amanhecer. Portanto todo o início de algum empreendimento passa pelas mãos de Eos, ela inspira e dá ideia. É uma Deusa diurna e é a responsável pela ereção matinal. Ou seja, ela é a própria inspiração que traz o desejo e a sensação desses momentos.
 

 

 

 

 

 

DEUSA OXUM

 

 

 

Considerada muito bela, está na água doce das cachoeiras e dos rios. Inclusive Oxum é o nome de um rio na Nigéria. Se manifesta na opulência das coisas, na riqueza e nos mimos. Na minha opinião ela é uma das muitas manifestações da Afrodite mais cultuada , a que tem ligação com a beleza. Oxum é extremamente feminina, sempre aparece cercada de colares e adornos. Africana.
 

 

 

DEUSA IANSÃ

 

 

 

 

Rainha dos ventos, traz as boas novas (e más também). Personifica muito a liberdade e possui um caráter e espírito guerreiro. Se você vibrar junto com o vento, por exemplo, sentindo-o em seu rosto, provavelmente sentirá a energia desta Deusa. Também é dona das tempestades. Africana.
 

 

 

 

 

 

 

 

 

DEUSA AINE

 

 

 

 

 Considerada a Deusa das Fadas, ela é a própria Deusa Fada. Ajuda os perdidos em estradas e trilhas, principalmente os viajantes. Mas ela também sabe atrapalhar estrangeiros abusados. Como toda Fada, traz inspiração, mas, como Rainha delas, imagina como ela vem? Ela se manifesta em gansos, cisnes, garças e em mulheres de rara beleza, daquelas que de tão exóticas, tornam-se belas. Irlandesa.
 

 

 


 

 

 

 

 

Livros Recomendados:

 

O Martelo das Feiticeiras

 

De Heinrich Kramer e James Sprenger. No Brasil a introdução é de Rose Marie Muraro.

 

 

 

 

 

 

 

Evangelho Segundo Maria Madalena

 

Textos e manuscritos encontrados no ano de 1500 na cidade do Cairo.

 

 

 

 

 

 

 

Personas Sexuais

 

 

De Camille Paglia

 

 

 

 

 

LEIA TAMBÉM

- Na contramão da nudez robótica por Susy Savedra

 

- Tolerância, reflexão e questionamento em tempos politicamente corretos por Yedda Macdonald

 

- Nós mulheres: as grandes Deusas por Sol Medeiros

 

- O radicalismo num mundo binário por Paulo Gustavo Ganime

 

- O Brasil precisa de um arrastão moral por Suely Rosset

 

- Análise do livro "O Amante Japonês" de Isabel Allende recomendado por Maria Claudia

 

 

Susana Savedra

 

É poeta, arte educadora, atriz, modelo vivo e estudante de letras. Integra duas coletâneas, "Lar" e "Baseado na estrada". Para conhecer melhor seu trabalho acesse sua página no Facebook e seus blogs:

Facebook: CurtaPoesiaVidaLonga

www.joaninhasusana.zip.net

www.cafeconpochoclos.blogspot.com.br

 

Please reload

 SIGA-NOS AQUI TAMBÉM 
  • Facebook B&W
  • Twitter B&W
  • Instagram B&W
 os mais RECENTes : 

August 6, 2018

August 3, 2018

July 18, 2018

July 11, 2018

Please reload

Please reload

Copyright © 1Olhar 2017

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Instagram Icon

O 1 Olhar é uma plataforma colaborativa com mais de 50 colunistas compartilhando o olhar, a opinião de pessoas normais sobre os acontecimentos que nos cercam.

Quer colaborar? Entre em contato