Camuflagem

08.04.2018

Me escondo tão simplesmente

Embaixo da mesa da sala

Debaixo da minha cama

Me fecho no escuro quarto

Me tranco encolhida no armário


Me escondo de outras maneiras

Pondo a mão no meu rosto

No outro lado da rua

Na casa de um amigo

Dentro daquele abrigo


Me escondo também no silêncio

Naquela máscara feia

Naquele meu grito não dito

Em minha cara de mau

Quando evito o sorriso


Me escondo em um pseudônimo

Não quero mais ser quem eu sou

Não digo a ninguém o meu nome

Deleto até minha foto

Viajo pra longe e não volto.

 

 

Claudia Lundgren 

 

 LEIA TAMBÉM

Outros artigos:

 

- Os cães nunca deixam de amar por Teresa J. Rhyne recomendado por Maria Claudia

 

- Deus está sorrindo por Susana Savedra

 

-Individualismo, individualidade e individuação – diferenças que fazem toda a diferença por Yedda Macdonald 

Claudia Lundgren

 

45 anos, mora na cidade de Teresópolis, é Pedagoga, trabalha há 11 como Educadora Infantil, e cursa Pós Graduação em Língua Portuguesa e Literatura Brasileira.

 

Please reload

 SIGA-NOS AQUI TAMBÉM 
  • Facebook B&W
  • Twitter B&W
  • Instagram B&W
 os mais RECENTes : 

August 6, 2018

August 3, 2018

July 18, 2018

July 11, 2018

Please reload

Please reload

Copyright © 1Olhar 2017

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Instagram Icon

O 1 Olhar é uma plataforma colaborativa com mais de 50 colunistas compartilhando o olhar, a opinião de pessoas normais sobre os acontecimentos que nos cercam.

Quer colaborar? Entre em contato