Resenha do livro ANTES DA TEMPESTADE – DINAH JEFFERIES

12.05.2018

A história começa bem antes da trama principal, quando Elisa, a protagonista, é apenas uma menina que vive com os pais em Nova Delhi, Índia: num dia festivo, a família real do principado local está fazendo uma procissão, cheia de elefantes e pompa,  quando o pai de Eliza, um dos representantes do império britânico que está na comitiva que participa do cortejo, perde a vida durante um atentado e a menina tem que voltar para Londres, com a imensa dor dessa perda e com uma mãe alcoólatra.


E assim sua vida mudou completamente: de uma forma sucinta ficamos sabendo que Eliza foi para colégios internos e casou-se aos 17 anos.  Agora, quando realmente começa esse romance, ela é uma jovem e bela viúva buscando sua independência. Ao se casar ela descobriu a paixão pela fotografia e ao enviuvar, com a ajuda de um velho amigo de seu pai que vive na Índia, Eliza é contratada pela Coroa Britânica para ir ao Estado principesco de Juraipore, com a missão de fotografar o dia a dia da família real para o arquivo do Império. Para isso terá que ficar pelo menos um ano por lá.


No castelo Elisa conhece o príncipe Jayant, irmão do marajá, e junto com ele começa a vivenciar também os muitos lados da Índia, tanto as suas paisagens e palácios incríveis como sua devastadora miséria e as inúmeras injustiças do domínio britânico. Resumidamente teremos aqui mais um conto de fadas: cheios de afinidades, Eliza e Jay fazem muitas descobertas juntos e se apaixonam. Seria simples assim se a Índia não fosse um mundo completamente diferente do de Eliza, onde Jay vai ter que escolher entre a honra e o amor, em um país onde as viúvas ainda são lançadas ao fogo naquela época. E a família real fará de tudo para impedir a consolidação desse romance entre o príncipe indiano e a viúva inglesa.


Fiquei impressionada como a autora conseguiu descrever as paisagens e construções da Índia com tal riqueza de detalhes que tudo ficava muito claro rapidamente na minha imaginação sem que eu fizesse qualquer esforço. E isso foi feito de uma maneira que não deixou a leitura cansativa, ao contrário, esse foi um livro muito gostoso de ler! Pode ser até que eu esteja sendo tendenciosa pelo fato de ser uma apaixonada pela cultura e pelo povo da Índia – ah os elefantes enfeitados, seus habitantes, seus hábitos, seus palácios e suas cores! - mas acho que não: li em outros lugares a mesma admiração pela maneira de escrever da Dinah Jefferies...


Esse é o segundo livro que leio dessa autora e em ambos existe uma protagonista feminina delicada e ao mesmo tempo forte, vivendo em uma sociedade muito injusta para as mulheres. Mas aí param as coincidências, os livros são completamente diferentes um do outro, nenhum deles tem ligação de enredo ou trazem dilemas sequer parecidos para as protagonistas: são leituras do tipo um conto de fadas onde as “mocinhas” são sempre mulheres ingênuas e aparentemente frágeis, mas só que não! Na verdade elas são bastante fortes por conta de uma visão de mundo muito mais abrangente do que a da maioria daquelas que as cercam naqueles lugares e épocas em que as histórias acontecem...


Nesse livro deu para entender um pouco da cultura, do lado místico indiano e da política sobre o período em que os ingleses dominavam o país. Mesmo que tudo tenha sido feito de uma maneira superficial, já que dá para perceber que a autora está mesmo é priorizando o lado romântico, a cultura e a política funcionam como um pano de fundo eficaz e bastante interessante.
Para finalizar tenho que destacar que adorei circular por castelos com suas passagens secretas, segredos e descobertas, entre pessoas estranhas e misteriosas, num clima de suspense, aventura, cultura e tradições tão diferentes das nossas, tudo isso ainda por cima envolvendo um amor proibido (os anos passam e esse meu lado romântico continua aqui...).


Enfim, mais um conto de fadas que me deu algumas horas de prazer ao fazer o que mais gosto, afinal...  #LERÉTUDODEBOM!!!

 

 

 

 

LEIA MAIS    

Outros livros recomendados:

 

-  Análise do livro NINFEIAS NEGRAS de Michel Bussi por Maria Claudia

-  Crítica do livro Um Mais Um de Jojo Moyes por Maria Claudia

-  Os Cães nunca deixam de amar de Teresa J. Rhyne recomendado por Maria Claudia

-  O Tempo entre Costuras de María Dueñas  recomendado por Maria Claudia

-  Destino La Templanza de María Dueñas recomendado por Maria Claudia

-  A Maleta da Sra. Sinclair de Louise Walters  recomendado por Maria Claudia

-  A Lógica do Cisne Negro de Nassim Nicholas Taleb recomendado por Paulo Gustavo Ganime

- A livraria dos finais felizes de Katarina Bivald recomendado por Maria Claudia

- O Amante Japonês de Isabel Allende recomendado por Maria Claudia

 

Maria Cláudia de Macedo Miranda Marandino

 

Resendense de nascimento e carioca desde os meus três anos, sou professora (aposentada) especializada em alfabetização e pré-escolar. Amo ler pelo simples prazer de ler! Não sou especialista em literatura mas vou colaborar no 1 olhar com o resumo que faço de cada um dos muitos livros que leio na esperança de despertar o leitor que sei que vive dentro de cada um de nós: todos somos leitores, basta que o livro certo nos encontre!

Please reload

 SIGA-NOS AQUI TAMBÉM 
  • Facebook B&W
  • Twitter B&W
  • Instagram B&W
 os mais RECENTes : 

August 6, 2018

August 3, 2018

July 18, 2018

July 11, 2018

Please reload

Please reload

Copyright © 1Olhar 2017

  • Grey Facebook Icon
  • Grey Twitter Icon
  • Grey Instagram Icon

O 1 Olhar é uma plataforma colaborativa com mais de 50 colunistas compartilhando o olhar, a opinião de pessoas normais sobre os acontecimentos que nos cercam.

Quer colaborar? Entre em contato